segunda-feira, 26 de julho de 2010

Aceitar ou viver fugindo.

A vida as vezes nos impõe situações que fica difícil fugir,e foi assim quando lhe conheci.
No começo nossas conversas eram maravilhosas,ate o momento que você colocou na cabeça que queria me dominar,sendo eu uma submissa cativa por decisão,não foi fácil aceitar suas ordens,devido minha trajetoria com pseudos senhores dominadores e mestres.
Mais depois de pensar muito,acabei aceitando suas ordens e indo ao seu encontro,por dentro um misto de medo e desejo pelo que me aguardaria junto a você.
Depois de tudo certinho pra minha chegada a sua cidade,ansiosa vou pra rodoviária com a certeza de que estará la quando eu chegar.
A medida que o ónibus vai vou ficando mais ansiosa,quando desço o vejo na plataforma me esperando cm um belo sorriso,me pergunta se trago alguma mala,respondo que não sem olhar nos seus olhos,nesta hora você pega na minha mão e me conduz ao estacionamento,já dentro do carro ambos acomodados,eu pergunto pra onde vamos senhor,e sem pestanejar você responde em 1 lugar não sou seu senhor ainda e vamos para minha casa....
Decididamente depois desta resposta fiquei calada o trajeto inteiro ate sua casa e você também.
Você estacionou na garagem entramos,e logo na sala ao entrar tive uma surpresa havia mais pessoas ou melhor mais senhores pra ser exata mais 2,não me atrevi a perguntar ao meu futuro senhor quem era aqueles homens.
Ainda meio perturbada ouvi meu senhor me chamar pra junto de si,e neste momento só senti o peso da sua mão no meu rosto,e com esta força acabei me desequilibrando e caindo no chão, mesmo sem entender fiquei quieta não tive nenhuma reaçao, só o ouvi dizer aos outros dois hoje ela ira aprender a nunca mais me dizer um não.
Fui levantada e as roupas arrancadas,nestes instantes que se seguiram ano houve palavra alguma,ao toque de uma Mao entendi que deveria me ajoelhar e foi oque fiz,tive as mãos amarradas e suspensas no ar no meio da sala as pernas igualmente amarradas,uma outra mão veio com uma mordaça que foi colocada e de certa forma apertada.
Meu senhor só olhava sentado a minha frente,me olhava fixamente,e a sinal dele comecei a receber chicotadas 1 nas pernas a medida que meu corpo ia ficando marcado eles os outros dois senhores iam subindo e cada vez com mais força meu corpo era acariciado pelas chicotadas.
As lágrimas teimosas começaram a rolar pela minha face em seguida os soluços já eram ouvidos por ate o interior da sala,já se passava mais de uma hora que eu estava ai sendo acoitada e ainda sem saber ao certo pq era castigada.
Eu já não tinha mais noção nem dos senhores nem das chicotadas,já não sentia mais dor parecia que meu corpo estava anestesiado,sem dizer nenhuma palavra,meu senhor se levantou e os outros dois se afastaram,mais a seu sinal fui solta e levada a um quarto e colocada sentada numa cama,e estruida a não me deitar,fiquei sentada ali quieta não sei por quanto tempo,ate me assustei quando a porta se abriu,meu senhor entrou e passou direto por mim,em direçao a um banheiro só ouvi o barulho de agua,ele retornou com as mangas arregaçadas e agora sim veio ate mim,me levantou tirou a mordaça que eu ainda usava,e me pegou no colo e me levou pro banheiro onde tinha uma banheira cheia de agua,com carinho fui colocada nela,e alguns minutos após a minha entrada o senhor entrou também,senti o toque dos seus dedos na minha pele açoitada.
Queria lhe perguntar o porque de tudo aquilo,e como se tivesse lido meus pensamentos o senhor me disse.sem meias palavras,sabe minha flor sempre gostei de você e quando ficou sozinha vi ai a oportunidade de possui la sendo que você mesma me deu esta abertura,só que desdo começo a maioria das minhas ordens você não me obedeci sempre fugia,inventada algo,lembra que em umas das nossas conversas eu lhe perguntei se você assumiria o risco por cada desobediencia,lembra oque você me respondeu,sim senhor eu assumo então não reclame nem pense que sou ruim,EU SOU SADICO E NAO MALVADO OU DOENTIO.
Suas mãos percorriam meu corpo com mais avidez,e mesmo sentindo meu corpo doer pelas chicotadas,me virei devagar e me deixei encaixar a seu membro que nesta hora estava rígido,senti suas mãos me puxarem com mais força pra junto de si,eu subia e descia sem parar,sentindo seus beijos no pescoço na boca no rosto ai nos seios que maravilha me sentir sugada e mordida por você,e neste clima ali na banheira nos entregamos ao prazer mais puro que esta relação poderia nos proporcionar.
Ao final de tudo saímos da banheira, e eu somo uma boa submissa peguei uma toalha e comecei a seca lo com carinho,lhe pus o roupão senhor saiu e foi para o quarto,eu me sequei e segui ate o quarto também e me ajoelhei ao lado da cama mesmo não sendo mandada a fazer isso,o senhor voltou e colocou uma caixinha na cama e pediu que eu abrisse,obedeci e quando vi oque continha nela n pude deixar de ficar emocionada,havia uma bela coleira com o seu nome sobre o meu.
Agora a partir do momento que eu colocar esta coleira em você ai sim poderá ser minha por completo,e tirando ela da caixinha a colocou no meu pescoço,ainda ajoelhada recebi um beijo dos seus lábios,e em retribuição e abaixei e beijei seus pés em sinal do meu respeito por ti,meu amado SENHOR...


http://www.xvideos.com/video463001/girl_with_tied_arms_standing_on_bar_tickled_spanked_with_stick_by_master

2 comentários:

  1. adorei a história ... é real????
    vc merece carinho não isso tudo relatado ...

    ainda vou ter vc nos meus braços

    bjs

    ResponderExcluir